FabLab Lisboa promove Encontro Nacional de FabLabs.

(texto por: Câmara Municipal de Lisboa)
Como construir drones, sintetizadores ou um microscópio, introdução ao corte laser ou à modelação 3D são alguns dos momentos muito concorridos no encontro promovido pelo FabLab Lisboa, que juntou na capital makers e fablabs de todo o país entre 29 e 31 de janeiro.

5cbe01f641 ASC_Fablab-2477

Partilha e entrega no fazer diferente são as palavras chave do Encontro Nacional de FabLabs que durante três dias junta nas instalações do FabLab Lisboa dezenas de makers em 16 workshops e oito talks, em torno das práticas e temas mais relevantes na rede nacional de laboratórios de fabricação digital. Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa e o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, participaram este sábado, 30, numa sessão de boas vindas.

Duarte Cordeiro, também vereador responsável pelo pelouro da Economia e Inovação na autarquia, valorizou a lógica de partilha que impera nesta rede internacional em franco crescimento. Os princípios de actuação passam muito “pelo acesso democrático aos meios de produção”, frisa.

Por isso é importante valorizar a intervenção que o FabLab Lisboa no ecossistema empreendedor de Lisboa, que “tem tido um crescimento brutal nos últimos anos”. E se o FabLab Lisboa tem tido “um papel determinante” nesse meio, o vereador preconiza uma intervenção ainda mais forte no futuro. Duarte Cordeiro salienta ainda a capacidade do FabLab “atrair valores de outros países para a cidade” e afirma a determinação da autarquia em manter e intensificar o apoio ao movimento de makers e ao FabLab Lisboa, no sentido de transformar a capital portuguesa numa “referência ao nível mundial”.

O vereador anunciou por isso que este ano será promovida uma “Semana Maker” e lembrou a realização do Web Summit em Lisboa como um acontecimento de grande importância para a cidade e particularmente o seu ecossistema empreendedor.

João Vasconcelos lembrou a sua passagem nos últimos anos à frente dos destinos da Startup Lisboa, saudou a realização do encontro e valorizou a forma como Bernardo Gaeiras, director do FabLab Lisboa, tem gerido aquele equipamento municipal. “Um belo exemplo de até onde deve ir a intervenção municipal e a da sociedade civil” frisa.

O governante salienta que o FabLab não tem apoios comunitários ou do Estado, e afirma que na sua escolha para o cargo de secretário de Estado da Indústria presidiu a experiência acumulada na Startup Lisboa. “A ideia é tentar transmitir esse espírito assente no respeito pela criatividade e pelo meio ambiente para o plano nacional”, diz.