Sinalética FabLab Lisboa

O FabLab Lisboa já tem sinalética!

Expomos neste post as diversas opções que considerámos e os processos experimentados até ao resultado final.

1

O desenho das placas partiu de um elemento cuja precedência desconhecemos, e que aparenta estar no mercado há alguns anos, sendo já elemento único.

j

 

Trata-te de uma placa horizontal, metálica, cujos extremos são semi-circunferências. As letras encontram-se em relevo, e o 1 de “sector 1″ inscrito numa circunferência. Fizemos deste o nosso ponto de partida, tanto no que diz respeito às proporções como aos elementos na placa.

2

 

A nossa primeira ideia passou por cortar na Laser Cutter, e em acrílico preto, os diversos elementos da placa, (letras, logo, etc. ..), colando-os de seguida numa placa de acrílico branco cortada com a forma pretendida.

Embora esteticamente interessante esta ideia peca pela sua fragilidade, os elementos colados têm a sua duração condicionada por factores como a chuva ou o vandalismo.

DSCN1714 copyDSCN1716

Pensámos também em fresar uma placa de acrílico na Ouplan 2015, desbastando os espaços correspondentes às letras com cerca de 0,5 mm de profundidade.

À semelhança do que se faz nas placas comemorativas o objetivo era preencher esse desbaste com tinta acrílica preta. O resultado não ficou como o pretendido, devido ao acabamento irregular e não transparente no desbaste produzido pela fresa. Para este método funcionar, seria necessário numa fase posterior polir de alguma maneira os espaços desbastados.

DSCN1703

A solução final revelou-se bastante simples, utilizando a plotter de corte recortámos uma imagem espelhada dos conteúdos da placa de sinalização em vinil preto. Estes foram de seguida aplicados no verso de uma placa de acrílico transparente (fresada na Ouplan 2015), de forma a lerem-se correctamente.

DSCN14081
photo 22

Essa mesma face da placa foi posteriormente pintada com duas camadas tinta acrílica branca, de modo a criar um fundo branco homogéneo que cobriu as letras em vinil.

DSCN14101

Embora algo tosca, a ideia funciona bem, tem a leitura que queremos e muito provavelmente uma duração digna. Além disso, somando tudo o que nelas foi utilizado as placas revelam-se de bastante baixo custo. Deixamos aqui algumas imagens das duas faces das placas, assim como das mesmas, já colocadas, junto à entrada do Mercado do Forno do Tijolo.

DSCN1727

Untitled-42DSCN1705