Set de Xadrez

Como prenda de natal quis experimentar trabalhar com um torno, e criar o meu primeiro set de Xadrez. Na verdade o segundo: ainda miúdo, já tinha experimentado cortar um cabo de uma vassoura aos bocados, e pintar um tabuleiro aos quadrados. Portanto a expectativa era baixa.

A inspiração para voltar a trabalhar com madeira (depois do meu anterior projecto no Fablab, o Octopus Chandelier), e em específico com o torno, veio de muitas horas a ver os fantásticos vídeos de carpintaria do Frank Howarth.

Torno de metal?
https://www.youtube.com/watch?v=DH3XJdYzQmI

O conceito é o mesmo. O ideal teria sido trabalhar com um específico para madeira, o que eventualmente teria melhorado a suavidade dos cortes.

IMG_1678

Mas uma vantagem deste de metal é trabalhar com um processo muito mais milimétrico e controlado por manivelas, em vez de trabalhar com ferramentas soltas (o que seria demasiado perigoso com um torno de metal).

Escolher a madeira

O pinho é o mais fácil. Corta-se que nem manteiga, é barato, e fácil de obter em formas já cilíndricas. No entanto tem muitas imperfeições e rasga facilmente. Para cortes detalhados (como os anéis na base das peças) o pinho torna-se particularmente imperfeito. Num próximo projecto, escolheria outra madeira, mais maciça.

IMG_1720

Prender bem a peça!
A última coisa que se quer ver acontecer (excepto claro, ferir-se… e não faltam perigos nesta máquina) é a madeira não ficar bem fixada e soltar-se durante o corte. Nem que saia só um bocado do seu lugar, é suficiente para estragar a peça, porque vai ser impossível voltar a colocá-la exactamente na mesma posição.

Não poupem força ao fixar a peça de madeira, e em qualquer coisa um bocado mais comprida que duas ou três peças de xadrez, utilizem o ponto do lado oposto para fixar de ambos os lados (mais uma vez, com força qb).

Lixar, lixar, lixar

https://www.youtube.com/watch?v=ObQRu2AE-BA

Dado que o pinho rasga bastante durante o corte, é imperativo lixar a peça até ficar com a superfície perfeita. É fantástico lixar directamente no torno, e boa ideia começar com uma mais grossa e depois ir aperfeiçoando com uma bem fina.

Quando se corta a peça para separá-la (por exemplo o topo dos peões) vai ficar muito imperfeito, e é difícil resolver lixando à mão. Tive que recorrer a uma máquina de lixar de rolo (ou uma de disco também serve) para me livrar destas imperfeições. Contem com isso ao separar a peça, se é para ficar com os topos perfeitos.

Tabuleiro

https://www.youtube.com/watch?v=voRU3_dD6AA

Foi composto por 64 quadrados cortados a partir de madeira na largura já certa. Aqui o pinho serviu bem o propósito, mas claro que faz sentido que seja o mesmo material utilizado nas peças.

IMG_1759

Conseguir que os quadrados fiquem perfeitos para colar tudo sem folgas é particularmente difícil e requer um trabalho perfeito (algo que não consegui nesta primeira tentativa – tive que improvisar e o resultado final ficou algo torcido e com muitas folgas).

Resultado final

FullSizeRender

Colei uma fina camada de cortiça por baixo do tabuleiro e por baixo de cada peça, encontrei uma mala de cortiça para as guardar e um saco de pano quase que cortado à medida para o tabuleiro.

A minha namorada, escusado será dizer, adorou a prenda de natal :)

Mais fotos

IMG_1682 IMG_1728 IMG_1736 IMG_1742 IMG_1755 IMG_1760 IMG_1768 IMG_1794