Digitalização de Moldes de Plasticina com Roland Modela MDX-20

A visita ao Fablab de Lisboa foi feita no âmbito da elaboração duma tese de mestrado integrado da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), cujos trabalhos se vêem desenvolvendo no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC). Uma das etapas desses trabalhos passa por digitalizar a forma de pedras de balastro ferroviário.

Deste modo foram criados dois moldes em plasticina para cada pedra, que posteriormente foram digitalizados através do scanner Roland Modela MDX-20 disponível no Fablab Lisboa. Este equipamento dispõe de uma agulha piezoeléctrica muito sensível que permite uma resolução de 0,025 mm em altura e de 0,05 mm no plano horizontal (xy).

O procedimento a adotar é muito importante uma vez que quanto maior for a resolução, maior é o rigor da digitalização, mas, por outro lado, maior é o tempo do processo. Atendendo aos objetivos deste trabalho, estabeleceu-se como adequada a resolução de 0,75 mm. Através do software Dr. Picza foi possível refinar a área de trabalho somente para a ocupada pelos moldes, o que é outro passo importante para otimizar o processo de digitalização e tratamento da informação.

DSC02930 DSC02935 DSC02969 DSC02979

Apesar de o material utilizado para os moldes ser a plasticina, que é um material que facilmente se deforma, a agulha piezoeléctrica mostrou ter sensibilidade de ponta e lateral suficiente para picar os pontos sem marcar o molde, pelo que o resultado foi de encontro às expectativas.